06/07/2014

Como um cristão deve decorar sua casa

A moda muda muito rápido. Estilos de decoração também mudam rápido, alimentados por uma indústria que tenta se apropriar do nosso tempo e dinheiro, enganando-nos com a ideia de que precisamos daquele objeto específico, daquele enfeite exclusivo e do acessório ideal para cada canto da nossa casa.

Deus não se opõe a que tenhamos um lar bonito e bem decorado. Além do mais o primeiro lar que Ele desenhou era um lugar belo e reluzente. Creio que Ele deseja que vivamos em lugares atrativos, cômodos, simpáticos, alegres, agradáveis e seguros. O projeto que Ele fez para o tabernáculo no deserto mostra que Ele ama a beleza, as mãos talentosas, o material de qualidade, as proporções adequadas e um impecável sentido de ordem. Ele colocou no santuário objetos que fazem com que recordemos do Seu amor, dos Seus planos para suprir as necessidades do povo, Suas normas de amor, Sua graça e Seu plano de salvação.

Jesus veio a este mundo para mostrar que podemos viver com simplicidade, de acordo com nossas necessidades e possibilidades. Quando aqui Ele esteve, um estábulo se transformou em um lar, uma manjedoura fez papel de berço, um barco de pescadores serviu de cama e por aí afora. Jesus se sentia feliz e satisfeito mesmo sem ter uma moradia, viajando de um lugar para outro sem ter objetos para uso pessoal. No entanto, passou boa parte de sua vida fabricando móveis de madeira de excelente qualidade. Posso imaginá-Lo alisando o assento de uma cadeira até que estivesse bem confortável, suave ao tato, o mais adequada possível para quem fosse utilizá-la.

Creio que é este espírito que devemos cultivar em nossos lares, o gosto pelo que é belo sem o estresse do consumismo. O Espírito Santo está pronto a nos ajudar a decorarmos nosso lar de maneira que criemos um ambiente perfeitamente acolhedor. Nossas moradias devem possuir, antes de tudo, uma atmosfera hospitaleira. Nossas casas devem sempre dar as boas-vindas a quem chega e uma boa dica é estimular os cinco sentidos dos visitantes.

Olfato: Utilize um ramo de flores frescas, a fragrância de um pão fresco, ou o cheiro de canela de uma vela.

Tato: Nosso lar deve fazer com que os visitantes se sintam bem quando lhes damos um abraço ou um delicado aperto de mãos. Podemos estimular o sentido do tato mediante o uso de fibras naturais, coleção de objetos como plumas, conchas ou sementes.

Paladar: Apetitosos alimentos e sucos de frutas naturais podem ser oferecidos.

Audição: A música clássica, cantos de louvor, músicas instrumentais contribuem para a boa sonoridade de nossos lares. Palavras amorosas, boas risadas e enfeites movidos pelo vento também são a alegria de um lar.

Visão: Ordem, limpeza, organização e beleza são colírio para os olhos.

O famoso decorador William Morris sempre se inspirou nas plantas e na natureza para criar seus projetos. Morris morreu em 1896 e foi considerado o fundador da tendência chamada “Artes Manuais”. Este movimento artístico colocou de lado a suntuosidade da era vitoriana e todo materialismo produzido pela revolução industrial. A tendência favoreceu o uso de desenhos especiais, trabalhos manuais e o espírito comunitário. Sua expressão mais famosa foi: “Não tenham nada em suas casas que não considerem útil”. Esta frase se converteu em uma norma simples para todo decorador de interiores. É um conceito de fácil aplicação.

Como podemos então criar ambientes que refletem nossa fé em Deus e que sejam atrativos e aconchegantes? Aqui vão algumas ideias:

1) Analise seus valores cristãos e pense em como colocá-los em prática em seu lar.

2) Considere as ideias práticas oferecidas por Ellen White (lista abaixo).

3) Avalie o que você tem em casa. Quem sabe você possa facilitar a sua vida. Doe o que não precisa e reorganize o que ficar. Faça a seguinte pergunta: Se minha casa estivesse pegando fogo, o que eu gostaria de salvar?

4) Ore pedindo a direção de Deus. O Deus que se preocupou em criar o belo jardim do Éden, e que está preparando lugares especiais no céu, se interessa pela forma como vivemos na terra. Ele deseja que sejamos felizes, saudáveis e que tenhamos lares acolhedores, onde, em união com nossa família e amigos, possamos sentir-nos à vontade. E, acima de tudo, Ele deseja estar em nosso lar a cada dia.

Ellen White e a decoração do lar
No livro “O Lar Adventista” você pode encontrar sábios conselhos. Alguns deles são:

• As casas necessitam de abundante luz solar e ar fresco.
• As casas devem estar rodeadas de beleza natural e jardins, sempre que for possível.
• A mobília deve ser simples, sem luxo, duradoura, fácil de limpar e de fácil reposição.
• As relações entre os membros da família é que dão vida a um lar, não os enfeites luxuosos.
• Os enfeites e acessórios devem economizar tempo e energia; não devem representar trabalho adicional.
• A harmonia das cores deve ter inspiração na natureza.
• Os móveis devem ser planejados de maneira que todos os membros da família tenham um local apropriado para sentar, comer, dormir e trabalhar.
• O lar deve ser um lugar onde todos se sintam bem-vindos, especialmente os filhos.

Fonte: Revista AFAM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...